O esgotamento dos Quadros Permanentes


4. O esgotamento dos Quadros Permanentes

Entretanto, as necessidades de efectivos continuavam a aumentar, mas as possibilidades de mobilização atingiram um ponto limite, porque são drástica e irreversivelmente afectadas pelo elevado número de faltosos (que, em 1971, se estima em mais de 20 por cento do total de recenseados) e também, em muito menor grau, pelos desertores, evidenciando uma crescente hostilidade do país em relação à Guerra Colonial.
Perante este quadro, o Governo foi forçado a reduzir drasticamente as situações que conferiam isenção ou adiamento do serviço militar, a aumentar a duração deste, a baixar o limite mínimo de idade para a sua prestação e a promover a reinspecção de jovens anteriormente dados como inaptos. Muitos dos estudantes envolvidos nas manifestações académicas foram convocados antes de acabar os seus cursos.
Mas, apesar do esforço militar português nos teatros de operações, a situação agravava-se dia após dia, com a abertura de novas frentes de combate e a utilização de armamento mais eficaz pela guerrilha. Apenas em Angola a situação se encontrava relativamente controlada.
Entre os militares do Quadro Permanente, fortaleceu-se a convicção de que o Governo mais facilmente aceitaria uma derrota militar do que qualquer concessão aos movimentos de libertação e generalizou-se o receio de as Forças Armadas virem a ser, de novo, transformadas no bode expiatório do insucesso político do Governo, como sucedera, em 1961, com a Índia.
Estavam criadas as condições para os militares passarem à acção política e, paradoxalmente, o Governo ofereceu-lhes o pretexto.
Como atrás se referiu, por força das cada vez mais elevadas necessidades de quadros, o Governo adoptou um conjunto de medidas que, na prática, fizeram precipitar a crise do modelo institucional da carreira militar, adensando o mal-estar entre os oficiais oriundos de cadetes.
A legislação publicada acautelava, de certa forma, a situação destes, dispondo que os cursos de oficiais oriundos de milicianos se situariam, em termos de antiguidade, à esquerda dos oriundos de cadetes promovidos para o tirocínio no mesmo ano. Mas esta legislação foi alterada em 1973 e tal vai constituir o detonador do Movimento dos Capitães.


Índice
1 - O Estado Novo
2 - A Guerra Colonial e os militares
3 - A evolução politíca e económica
4 - O esgotamento dos Quadros Permanentes
5 - O Movimento dos Capitães
Multi-média
» Agravamento da...