Antecedentes


Antecedentes

Em 16 de Junho de 1960, ocorreu em Mueda o primeiro conflito grave entre africanos e forças militares portuguesas.
Os Macondes, tendo os seus chefes à frente, realizaram uma manifestação para expor ao governador do distrito o seu descontentamento pelo processo de distribuição de água, pelos salários e pela tentativa de limitar o papel das cooperativas agrícolas.
Estas vinham a pôr em causa o monopólio das empresas algodoeiras e constituíam centros de contestação política contra a presença portuguesa. A manifestação realizou-se depois de o presidente da cooperativa de Mueda, Lázaro Kavandame, ter sido solto da prisão, e a repressão que se lhe seguiu provocou a morte de grande número de Macondes.
«Depois deste massacre, nunca mais o Norte podia voltar à normalidade. Em toda a região tinha-se levantado o mais amargo ódio contra os portugueses e era evidente, uma vez por todas, que a resistência pacífica era inútil», como escreveria Eduardo Mondlane, primeiro presidente da Frelimo.
Mueda, a capital dos Macondes, «passou a ser objecto de cuidados especiais não só devido à proximidade da Tanzânia, como ainda às características do próprio povo Maconde», relata a História do Batalhão de Caçadores 558, o primeiro a instalar-se em Mueda, em Dezembro de 1963.


Índice
1 - Geografia
2 - O meio físico
3 - As populações
4 - Os interesses em presença
5 - O conflito
6 - Antecedentes
7 - O início da guerra
8 - Evolução da guerra até 1967
9 - Mueda, terra da guerra