Missões


Missões

A Força Aérea cumpriu dois grandes tipos de missões: uma estratégica, na ligação interterritorial, através dos Transportes Aéreos Militares (TAM) e outra táctica, nos teatros de operações, por meio de unidades operacionais, grupos e esquadras.
Os TAM passaram a ligar a Metrópole aos territórios africanos a partir de 1961, pois até essa data apenas existia na Força Aérea uma Esquadra de Transportes, com dois C-54-D (Skymaster), para assegurar a ligação Lisboa-Lajes.
Foi só depois do início da guerra em Angola que se estabeleceram voos regulares com Luanda. Nesse ano (1961), adquiriram-se por urgência, dez quadrimotores DC-6, seis comprados à Pan American Airways dentre os que a companhia estava a alienar, e dois aos extintos Transportes Aéreos da India Portuguesa (TAIP).
Em 1972, a Força Aérea adquiriu dois quadrireatores Boeing 707-3 F5 e a actividade dos TAM pôde, a partir de então, ser dividida em dois períodos, antes e depois da aquisição dos Boeing 707, pois estes passaram a levar os contingentes militares de e para África, em progressiva substituição do transporte marítimo em navios afretados à marinha de comércio.
Até à aquisição dos Boeing, os TAM operavam a partir de Lisboa para Bissau, Luanda, Beira e Lourenço Marques com os aviões DC-6 e transportavam maioritariamente quadros militares em deslocações de serviço ou rendições individuais, e feridos ou indisponíveis para os hospitais militares. Raramente transportaram unidades constituídas, exceptuando a fase de resposta inicial aos acontecimentos no Norte de Angola.
As missões tácticas que a Força Aérea cumpriu nos três teatros de operações foram genericamente as seguintes:
 
Missões de ataque

  Acções aéreas de ataque:

- Ataque independente (Atip), com aviões F-86, F-84, Fiat G-91, T-6, B-26;
- Ataque em reconhecimento (Atir), pelas mesmas aeronaves e também com helicópteros armados e com DO-27 equipados de foguetes;
- Ataque em apoio (Atap), pelas mesmas aeronaves;
- Acção de escolta (Aesc);

Missões de reconhecimento

  Acções aéreas de reconhecimento:

- Reconhecimento visual (Rvis), normalmente com aeronaves ligeiras de observação DO-27, mas também possíveI com B-26, PV2 ou C-47;
- Reconhecimento fotográfico (Rfot), com aeronaves preparada para fotografia aérea;

Missões de transporte

  Acções aéreas de transporte:

- Transporte de assalto (Tass), realizado para conduzir forças de heliassalto, com helicópteros AL-III e Puma;
- Transporte de manobra (Tman);
- Transportes gerais (Tger), pequenas missões logísticas, com DO-27, Nord-Atlas, C-47;
- Transporte de evacuação sanitária (Tevs), evacuação de feridos, utilizando helicópteros, Nord-Atlas, C-47, DO-27;
 
Acções diversas de ligação (Dlig); de controlo (Dcon), com PCV ou PCA (posto de comando volante ou posto de comando aéreo de operações); de movimentos (Dmov), movimentos de tropas ou de materiais;

- Transportes especiais (Tesp), por exemplo, de personalidades importantes.


Índice
1 - Força Aérea
2 - Dispositivo e meios
3 - Missões