Acções de interdição de fronteira


Acções de interdição de fronteira

A interdição de fronteiras foi ainda conduzida por meios aéreos e navais quer em operações autónomas de vigilância e patrulhamento, quer conjugadas com operações de forças terrestres, ou em seu apoio.

Nos rios da Guiné e no rio Zaire, em Angola, a Marinha executou grande número de missões de patrulhamento através de lanchas de fiscalização e de acções de fuzileiros em botes.

A Força Aérea realizou igualmente, com frequência, operações de vigilância sobre as zonas fronteiriças, que permitiam observar o aparecimento de novos trilhos ou a utilização mais intensa de antigas pistas.

Também acções especiais e irregulares foram efectuadas para interditar a passagem das fronteiras por guerrilheiros ou para minimizar as suas consequências, as quais, realizadas «do lado de lá» dessas mesmas fronteiras, procuravam criar instabilidade e obter informações.


Índice
1 - Guerrilha e contraguerrilha
2 - Defesa de pontos sensíveis
3 - A guerra dos itinerários
4 - Patrulhamento
5 - Batida e limpeza
6 - O golpe de mão
7 - A emboscada
8 - Operações de interdição de fronteira
9 - Acções de interdição de fronteira
10 - Ataque a Buba
Multi-média
» Botes de...